Cabanha institucional
 
Parece que foi ontem, mas falar da Cala Bassa, que nesse ano de 2007 completou catorze anos de existência, é voltar no tempo e contar um pouco de uma velha história, pois a cabanha trouxe em sua bagagem uma herança de dedicação, seleção e respeito ao Cavalo Crioulo. 

É contar um pouco da história da família Moglia, é falar de momentos vividos e compartidos entre seres de gerações distintas, que acima de tudo, encontraram satisfação no trabalho no campo, amizade e no companheirismo dos amigos e funcionários, e que fez a busca de um cavalo perfeito, ágil e resistente, dócil e valente, mesmo que com suor e sacrifício, uma incessante prova de conquistas e lições. Estivemos sempre no mesmo caminho, embora em momentos diferentes, tudo o que já foi feito e o que está sendo desenvolvido, foi com o objetivo de chegarmos ao mesmo lugar, no lombo de um cavalo crioulo, trabalhar, se dedicar à família e fazer amigos, e de alguns anos para cá, estar sempre em um determinado lugar, naquele que é o ápice de quem se dedica à criação de cavalos, o Freio de Ouro. 

Desde que criei a Cabanha Cala Bassa, com éguas afixo Lagoa e Espantoso e assumi a condução da Cabanha Firmeza, tive sempre o mesmo objetivo: Estar no páreo. Ganhar ou perder faz parte do jogo, mas estar no páreo é o que interessava. Era preciso estar preparado para ganhar, e para isso tinha que estar entre os melhores, na boca do tubo, apenas esperando a hora certa, relata, Marcelo Móglia.

Essa história da Cala Bassa foi sendo construída sem aventuras, mas com empreendedorismo, ousadia, coragem e muita, mas muita persistência. Ta certo, algumas vezes a persistência baixou e sacudiu a cabeça, aí, mais do que nunca, foi determinante o apoio e a confiança dos amigos e familiares. Foi determinante também a sede de dar a volta. Para quem quiser saber um pouco mais deste capítulo, eu indico “Crônicas de um Freio Perdido”. Não, não foi fácil, para quem desde guri, todos os sonhos de vitória e êxito estavam ligados a figura do cavalo, e a lida do dia-a-dia ainda dizia que não era hora de parar, de ser apenas o proprietário do cavalo, por mais que isso tenha toda a sua importância, não, ainda não era hora de ficar na arquibancada. Era hora de pelear e eu ainda tinha de pagar uma cerveja para uns amigos e para um cronista. Era hora de tratar de levantar a cabeça e buscar o sonho da Cala Bassa, o sonho de abrir o caminho e colocar a Cabanha na história, era hora de utilizar um dos reprodutores da Cabanha para buscar o Freio de Ouro

A Cala Bassa foi a Campeã do Freio de Ouro 2002, com o Candidato Simpatia.
Bom, depois disso, a Cabanha voltou a figurar sempre entre os finalistas do Freio. Filhos e filhas de Candidato Simpatia e de outros padrillos utilizados passaram a se destacar cada vez mais em provas de rédeas e do Freio, sempre se destacando com as melhores médias funcionais, como Punhalada Cala Bassa, que foi a maior média do Bocal de Ouro 2006 e é finalista do Freio de Ouro2007. Para quem pensa que basta, está muito enganado. A cobrança é ainda maior, seja por parte dos clientes, seja pela nossa busca de qualidade. Tentamos imprimir na manada todas aquelas características que fazem do Cavalo Crioulo o melhor cavalo de montaria do mundo, e buscamos isso na prática. A oportunidade de domar, montar e testar todos os cavalos da cabanha é muito mais do que uma vantagem competitiva, é um presente que eu aproveito para apreciar devagar, com toda a magia que o ambiente e a família crioulista propiciam. 

Aí, quando for a hora de parar, uma, duas, três gerações não deixariam todos estes anos de trabalho para trás. Quando eu parar é porque um outro vai tomar o meu lugar, porque isso passa de pai para filho, não precisa forçar, foi assim com meu avô, com meu pai e foi assim comigo, eu só posso agradecer por ter feito parte desta história dos vinte e cinco anos do Freio de Ouro

Que venham mais vinte e cinco, que venham os nossos filhos e preencham esta história com capítulos quem sabe ainda mais bonitos, para que nós, pais ou avós possamos torcer das arquibancadas, com o coração na mão, nessa que é a maior prova de Cavalos que conheço e que dentre tantos outros, foi o maior acerto da ABCCC, colocando o nosso Cavalo Crioulo, o cavalo brasileiro, no topo da raça, no topo do mundo.
 
  » voltar
  » página inicial
   
 
 
 
   
 
 
 
 
 
     
 
 15/01/2012
Redomão na Lagoa 2012 - Premiação
 
 15/01/2012
Redomão na Lagoa 2012 - Provas
 

 
     
 
 
 
 
 
© 2007/2017 | Cabanha Calabassa | Aceguá/RS
Fones: (53) 3311.0837 e (53) 3503.1186 
email: cabanhacalabassa@hotmail.com